Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2011

Doce colibri

Aqui estou
Atrás do horizonte
Além deste monte
Bem longe de ti

Só me restou
Saudades aos monte
Expressas na fronte
Desde que parti

Agora, sou
Metade restante
Mas não o bastante
Para resistir

Aonde vou
Sou pássaro errante
Sem ti, sem volante
Me perco aqui

Espero o vôo
Aqui, neste instante
Que ele me levante
Pra eu te seguir

Vento chegou
Vou por esta ponte
Beber da tua fonte,
Doce colibri

Na ponta da língua

Teu sabor me lambe a alma.
Teu desejo me aquece.
Tua pele me acalma.
Teu carinho me enlouquece.

Tuas curvas, saliente,
Faz-me ser assim maior.
Te conheço em minha mente.
O teu ser, já sei de cor.

Te descubro pelo aroma
Que nenhum outro parece.
Eu já falo teu idioma
E minha língua já conheces.

Tua pele, degustante,
Te debuto em nosso baile.
Em leitura abundante
Como o toque do teu braille.

Doravante, não te largo,
Minha rosa, minha flor.
Te estudo. Eu te argo.
Te decoro, meu amor.

Desposar-te

Meu amor, meu encanto.
Te amo de um jeito que não achava que pudesse amar alguém.
Te amo muito. Te amo tanto.
Te amo em dez elevado a cem.

Eu te preciso. Eu te desejo.
Já não consigo viver sem você
Já não consigo estar sem teus beijos
Já não consigo ficar sem te ter

Nunca te esqueças da minha paixão
É teu meu amor o quanto quiser
Quero tua vida. Quero tua mão.
Quero que tu sejas a minha mulher.